BIKE ARTE 2015 – SÃO PAULO

São Paulo mostrando que o ano de 2015 foi o mais bem sucedido para as intervenções urbanas, a mobilidade e a consciência de espaço para cuidar da cidade o quanto ela merece. Parece então que a polêmica ciclofaixa é mesmo pintada de vermelho para parecer um “Red Carpet” para as estrelas de curvas finas e rodas grandes passarem.

Neste fim de semana 14/11 acontece o movimento BIKE ARTE, com apoio da Prefeitura de São Paulo ❤ e também da organização de movimentos colaborativos OCUPEACIDADE. O evento junta Bicicleta, Musica, Arte e Pirações Urbanas , como descrevem os organizadores do evento que vai contar com espaço simultâneo  entre a CASA DO POVO e a PRAÇA KANTUTA .

O evento conta com debates sobre o futuro das cidades, comidas de “bike trucks”, djs, oficinas de intervenções, workshops e ainda o Jazz na Rua, que acontece pela primeira vez na praça kantuta, perto do metro Armênia na zona Norte.

12227830_484171135088986_6741016295996697725_n

Apoiamos esse movimento e queremos que cada vez mais gente mude a cidade para melhor!

Abaixo o informativo do evento :
PROGRAMAÇÃO ATUALIZADA ATÉ O MOMENTO:
(com certeza sofrerá benéficas atualizações ;))

+ BANDAS na Kantuta
13hs – B.C.M.C. – Banda Carnavalesca Macaco Cansado
14hs – Família Theocratas
15hs – Márcio Black (Coletivo Sistema Negro)
16hs – Baudelaire
17hs – Ordem Natural
18hs – Valério
19hs – Kiko Dinucci

+ PIRAÇÕES URBANAS – PRAÇA DA KANTUTA
Oficinas, intervenções, invenções e coletivos selecionados pela chamada Pirações Urbanas:

Imargem – Intervenções urbanas gráficas( grafites e stencils) ao longo do percurso do festival
Luciemeire Peres – Voz para todos! – Intervenções sonoras com bicicleta
Jazz na rua – Apresentação e aula de Lindy Hop
Rebeca Grinspum – Mapa afetivo de São Paulo
Coletivo se – //pulsos – Do código morse ao twitter
Hub Livre – Bike Radio
Flores no cimento/Orquídeas na vila – Jardinagem urbana
Kombi Hacker/Fast food da política/ Quem manda aqui? – Jogos sobre política
Marcel de Carvalho – Intervenções sonoras
Liberte seus sonhos – Mural de sonhos
Ana Paula Leôncio – Exposição de lambe lambes fotográficos
SilviaeNina – Oficina de desenho com bate papo sobre mobilidade
André Villas Boas – Oficina de desenho
Eduardo Mariano – Oficina de metalóides/bottons
Heraldo Cândido – Oficina de xilogravura
Coletivo dente de Leão – Oficina de mascara africanas
Música viva – Oficina de composição musical
Tikinho do Brasil- Oficina de pipas
Rodas de leitura – Mediação de leituras
Tatto nas Bikes – Oficina de estilização de bicicletas

+ OFICINA COMUNITÁRIA
Venha arrumar sua magrela de graça! 

+ PROGRAMAÇÃO CASA DO POVO:
Bike System – Djs durante os intervalos da programação
10hs – Ocupeacidade – Oficina “Construção coletiva de monumentos temporários” (1º Andar) Inscrições antecipadas no local
11:00 – 13h – Workshop de Integral Bambu com Will Lopes (1º Andar)
11h30-13hs – Debate – Mobilidade e Imigração (Térreo)
13h-15h – Rolê Board de Guilherme Teixeira (Térreo)
14-21h – Ateliê Vivo (1º Andar)
14h-17h – Barracão do G>E (1º Andar)
16:00hs – SOcupeacidade Convida#3 – Valério (HAB) + Indolor (Térreo)
17hs – Expedição CicloAmérica – Bate papo sobre cicloturismo, fotografia de viagem, a arte de viajar leve e tranquilo. (Térreo)
17:30hs-19hs – Debate – Ruas abertas vão mudar São Paulo? (Térreo)

DEBATES NA CASA DO POVO

Das 11h30 às 13h
Cidades podem ser mais acolhedoras?
– Natalia Garcia, criadora do Cidade para Pessoas 
– Benjamim Seroussi, da Casa do Povo
– Jose Garcia, diretor do jornal El Chasqui
Mediador: Murilo Casagrande, diretor Instituto Aromeiazero

Das 17h às 18h30
Ruas abertas vão mudar São Paulo?
– Marcio Black, coletivo Sistema Negro
– Guilherme Coelho – articulador do Minha Sampa 
– Alexandre Eduardo Silva – coordenador do programa Ruas Abertas
– Mayara Vivian, moradora do bairro
Mediadora: Ana Carolina Nunes, articuladora da SampaPé

+ PEDALE PELO PERCURSO
Go Biking – Pegue uma bike e pedale pelo percurso do festival.

+ CAMINHE
Curta a pé a região do Bike Arte 

+ COMIDAS DE RUA
Food Bikes (Bike Café, Bike Burguer, Evelyn´s Brigadeiro e Paladares da Amazônia)
Culinária Boliviana – Feira da Kantuta
Delícias da Economia Solidária

+ EXPO BIKE ARTE
Ana Matsusaki (Nã), André Rodrigues, Arthur D’Araujo, Barbara Malagoli, Bernardo França, Caio Orio, Catarina Bessel, Daniel Bueno, Edson Ikê, Elisa Carareto, Flavio Morais, Isabel Alves [Portugal], João Faissal, Larissa Ribeiro, Natalia Forcat (NaT) [Argentina], Romolo, TAMA-YO e Zé Otavio.

Venha pelo metrô armênia, pedalando (comboios ativar!), a pé, de skate, busão ou como quiser. Mas venha e #ocupearua!”

CLIQUE AQUI PARA CONFIRMAR PRESENÇA NO EVENTO : BIKE ARTE 2015

Imagem10

_maisumdedois

O CALOR E OS CLUBES GRÁTIS DE SÃO PAULO

A cidade de São Paulo possui vários centros esportivos por toda sua região, mas o que talvez você não saiba é que todo o cidadão paulistano pode usar os benefícios dos clubes e não precisa pagar nada por isso.   \o/

luisa-marilac-o

Segundo o site da prefeitura de São Paulo: “Em nossos Clubes você encontrará campos de futebol, ginásios esportivos, quadras poliesportivas abertas, piscinas de vários tamanhos, quadras de tênis, basquete e até canchas de bocha.

Os munícipes podem aproveitar playgrounds, brinquedotecas, salas de ginástica, salão de jogos e salas próprias para prática de diversos esportes. Também podem ser utilizados telecentros e academias.”

Pelo que entendemos do site, existem algumas preferências de matrículas que partem da região da sua residência. Por exemplo, se você mora na região oeste como os bairros Santa Cecília ou Perdizes, o clube mais indicado para se matricular é o Pacaembu.

pacaembu-clube

Os endereços dos clubes estão listados pelas regiões da cidade no site da prefeitura, basta clicar neste link:

Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Recreação

logo_AME_1256061699(1)

Os Centros Esportivos também contam com o AME (Amigo do Esporte), um programa de voluntariado para o segmento do esporte na cidade de São Paulo. A secretaria do esporte tem o objetivo de incentivar a prática deste tipo de trabalho e recrutam pessoas que querem realizar trabalho voluntário.  Se você tem interesse em participar do programa é preciso entrar em contato com a Secretaria do Esporte e depois disso iniciar um curso de capacitação de voluntários e seguir os procedimentos indicados.

Para se inscrever no AME:

Telefone  3396-6542 – Sandra ou por email – voluntariosame@prefeitura.sp.gov.br

APROVEITE A CIDADE!

Imagem10

_maisumdedois

COCIDADE – FESTIVAL DE INICIATIVAS COLETIVAS

Uma (re)união de coletivos formada num Festival de Iniciativas Coletivas que têm em comum as plataformas crowdfound ou em língua portuguesa, financiamento coletivo. São vários segmentos que atuam em economia criativa/ colaborativa e fazem do festival mais um holofote para desenvolvimento da sustentabilidade.

Realizado pela prefeitura de São Paulo, o festival está na segunda edição e chamando cada vez mais gente para participar ou entender como os grupos funcionam em exposições, workshops, palestras e trabalhos sociais, todos ligados à cultura e meios sustentáveis. Todas as atividades são gratuitas.

No dia 26/09/15 na Avenida São João e Praça das Artes no Centro das 11H ás 3H, acontece o encontro dos movimentos ligados ao COCIDADE, numa junção de projetos que vem acontecendo desde a última edição em agosto de 2014.

kids-new

Programação do Festival, segundo o site oficial:

Festival CoCidade 2015
dia 26/09 – Av. São João e Praça das Artes – 11h as 03h

O CoCidade – Festival de Iniciativas Colaborativas chega à sua segunda edição!
O dia 26 de setembro de 2015 será o dia do grande encontro de diversos movimentos ligados a colaboração, a ocupação da cidade e de tudo aquilo que vem sendo construído no decorrer das ações do CoCidade, que já estão acontecendo desde a primeira semana de agosto!

Confira toda a programação do Festival :

” ►PROGRAMAÇÃO RESUMIDA:
11h: Abertura do evento /Programação Infantil (CoCriança)
12h: Abertura Expofeira de Projetos /Intervenções Artísticas /Gastronomia /Área Sustentabilidade (EcoCidade)
13h30: World Café
16h: Shows
23h: Festas

——————————————————————————————————————————————————

☞ 11h-16h

ESPAÇO CoCRIANÇA ☼

Área educativa para a familia com oficinas em arte-educação utilizando fundamentos da cultura da Colaboração em suas atividades.

► Kombi dos Jogos

Iniciativa que tem como principal objetivo incentivar a cultura do brincar na cidade de São Paulo, através da criação de espaços lúdicos, abertos e democráticos.

✶✶✶

☞ 12h – 20h

EXPOFEIRA DE PROJETOS COLABORATIVOS ✪ ✪ ✪

Espaço de interação e troca entre as pessoas, onde projetos das mais diferentes áreas apresentam suas ideias e mostram seus produtos no intuito de compartilhar e também arrecadar recursos para suas iniciativas.

  • Grande parte dos projetos foram viabilizados via financiamento coletivo ou estarão em campanha de arrecadação aberta no momento
  • Diversos projetos se organizam e trabalham colaborativamente
  • Estarão presentes também diversas Plataformas de Crowdfunding

Temas: Games, Tecnologia e Ciência, Jornalismo, Literatura, Gastronomia, Eventos, Artes Visuais, Quadrinhos, Mobilidade, Arquitetura e Urbanismo, Empreendedorismo Social, Meio Ambiente, Ativismo, Audio Visual, Música, entre outros.

✶✶✶

☞ 12h-18h

INTERVENÇÕES ARTÍSTICAS ⟁◎⟁

► MUSICAL
15h
– Jazz na Kombi + Chaiss na Mala

► ARTES VISUAIS
12h-18h
– Pimp My Carroça (ZO)
– Imargem (ZS)

► CIRCENSE
12h-16h
– Circo no Beco (ABC/ZO/ZL)

► EDUCATIVA
12h-18h
– Intervenções educativas

✶✶✶

☞ 12h – 20h

ESPAÇO EcoCidade

11 projetos colaborativos que atuam na área de sustentabilidade expõem suas iniciativas e realizam um total de 7 oficinas durante o dia para as pessoas colocarem a mão na massa!

  • Coletivo MUDA-SP
  • Cidades Comestíveis
  • Quebrada Sustentável
  • Infinito Circular
  • RE-Roupa
  • Escola de Cisternas
  • Bora Plantar
  • Composta SP
  • ArboreSer
  • Perma Sampa
  • Escola ComoComo

✶✶✶

☞ 12h – 0h

GASTRONOMIA ۞

Durante todo o evento, estarão presentes diversos projetos que fazem comida de rua e que também atuam com princípios e propostas mais conscientes no desenvolvendo de suas iniciativas.

► Projetos:

  • Disco-Xepa
  • Creative Commes + Creative Bebes
  • Frida & Mina
  • Mr Poke

► Foodtrucks: Feirinha Gastronômica

✶✶✶

► 13h30
WORLD CAFÉ
Início: 13h30m
Inscrições: a partir das 12h no balcão de Credenciamento
Capacidade: 150 pessoas
Duração: 1h e 30m

O CoCidade abre espaço para a realização de um encontro WORLD CAFÉ! O processo possui uma metodologia baseada no diálogo colaborativo, que acessa e aproveita a inteligência coletiva para responder questões de grande relevância.
O tema central será o Plano Diretor.

✶✶✶

☞ 16h-03h
MÚSICA e POESIA ♫♪

► SHOWS

Local: Boulevard da São João / Vale do Anhangabaú

– 16h: Encontro de Poetas dos Saraus da Leste e da Sul (ZL/ZS)

– 18h: Show Ilú Obá de Min (Centro)

– 19h30: Show Charlie & Os Marretas (ZO)

– 21h30: Show Banda Eddie (PE)

► FESTAS

Local: Vão Livre da Praça das Artes

-23h: SISTEMA NEGRO DE SOM

-0h30: CALEFAÇÃO TROPICAOS

-2h00: PILANTRAGI

✶✶✶

ILHA DE CONTEÚDO COLABORATIVO

Local: 1º Andar da Praça das Artes (acesso restrito)

Coordenação: Coletivo Vaidapé

Coletivos midia-livristas gerando conteúdo ao vivo do evento nas redes.

  • Revista Vaidapé
  • SP Invisível
  • Guerrilha GRR
  • Blogueiras Negras “

Entra no site e veja toda a programação:

http://cocidade.com.br/

Imagem10

_maisumdedois

MUSEU DE GRAÇA EM SÃO PAULO

Desde o último Sábado (5/09), a Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo está distribuindo um passaporte para visitar os museus de São Paulo, Capital e Interior, de graça! São 18 museus e ainda algumas exposições temporárias como o “Retrato dos Imigrantes” no Museu da Imigração e “Gullah, Bahia, Africa” no Museu Afro Brasil.

Baseados no número médio de visitas por museu, serão distribuídos 25 mil exemplares com validade indeterminada. Será possível visitar por uma única vez  em qualquer dia da semana qualquer museu integrante das páginas do passaporte, você recebe um carimbo na página do local visitado e ainda  você pode colar uma foto 3×4 na primeira página e assina-la como num passaporte comum.

  • Lembrando que todos os museus têm entrada gratuita aos sábados.

Para conhecer os museus participantes entre no site : www.cultura.sp.gov.br

WP_20150905_12_48_13_Pro
Museu do Futebol (PACAEMBU)

Os pontos de distribuição são:

CAPITAL:

Casa das Rosas

Casa Guilherme de Almeida

Catavento

Memorial da Resistência

Museu Afro Brasil

Museu da Casa Brasileira

Museu da Imagem e do Som

Museu da Imigração

Museu da Língua Portuguesa

Museu do Futebol

Museu de Arte Sacra

Estação Pinacoteca

Pinacoteca do Estado

Paço das Artes

INTERIOR:

Museu Índia Vanuíre (em Tupã)

Museu Felícia Leirner (em Campos do Jordão)

Museu do Café (em Santos)

Museu Casa de Portinari (em Brodowski)

.

logo official

_maisumdedois

VEM PRA RUA

Com um título desses, você deve estar pensando que deve ser mais um daqueles grupos de coxinhas te chamando para vir as ruas gritar mais alguma coisa óbvia sobre o governo, mas não. Vem pra rua é mais uma forma de chamar a atenção para o que acreditamos quando questionamos a situação da segurança no Brasil. Ruas movimentadas de gente recua a criminalidade e desperta o interesse sobre a conservação e o uso dos espaços públicos. Movimentos coletivos que visam agregar valor aos espaços da cidade com música e diversão, vem conseguindo atrair um grande público de diferentes nichos que acabam por se encontrar num mesmo espaço, reativando o centro da capital paulistana e mudando um cenário comum de violência e descaso.

WP_20150906_03_32_20_Pro

WP_20150906_02_22_08_Pro WP_20150906_03_17_38_Pro

Neste mês de setembro está rolando o festival da cultura independente em São Paulo, já abreviado como MCI e no primeiro fim de semana o projeto deu as caras no centro da capital da melhor maneira, com muita música! O projeto SP NA RUA contou com vários coletivos musicais em instalações pelo Vale do Anhangabaú, Largo São Francisco e nas ruas próximas. Os coletivos Voodoohop, Venga Venga, Jazz na Kombi e Festa Selvagem estavam por lá, foi um show de cores, luzes e gente jovem e principalmente de uso do espaço público para se divertir.

Andar de uma festa para outra, encontrar amigos, ver algumas performances e até brincar em piscinas de bolinhas fizeram parte da cena dos coletivos da cidade. Os estilos de músicas eram variados e as pessoas também, a grosso modo o projeto SP NA RUA funcionou como um festival, até espaço para meditar e dormir tinha.

WP_20150906_00_00_24_Pro

WP_20150906_02_01_02_Pro

Para saber mais mais sobre tudo que vai rolar neste mês na cidade de São Paulo, entre no site do projeto no link www.culturaindependente.org esse é um projeto da prefeitura que tem apoiado constantemente ideias que querem mudar a cara da cidade.

TODOS NA RUA

Nós que andamos a pé e de bike pela cidade, estamos percebendo mudanças significativas no ambiente. Tem mais gente na rua, nas praças com wifi, nas festas em espaços públicos, nos bares com suas mesas nas calçadas e o mais engraçado é que tudo isso está acontecendo no momento que vivemos um caos político econômico Brasil e como a história é cíclica, todas estas mudanças nos fazem lembrar de tudo que rolou na década 80 e acabou se perdendo a partir dos anos 90.

Esse movimento dos coletivos que aconteceu com o SP na Rua, faz a gente perceber que para se divertir não precisa de balada “TOP”, carro parcelado ou comanda de balada. Você pode chegar de transporte público ou a pé, levar a sua bebida de casa e não se preocupar com o que os outros vão pensar num cenário original e seu.

WP_20150906_02_28_41_Pro

A festa na rua é de quem chegar, não precisa pagar a mais para poder curtir e encontrar a sua turma, pois a segmentação das pessoas ocorre como processo natural (Charles Darwin, rss..). Você aproveita a noite do seu jeito e não precisa gastar um fortuna para isso.

logo official

_maisumdedois

Chi Chi Chi Le Le Le ! Caro, mas vale conhecer!

Nossa primeira viagem depois do lançamento o oficial do Mais Um de Dois traz as impressões da capital Chilena que encanta os olhos às referencias europeias, saboreia a típica boa comida latina, mas não se esquece de salgar os bolsos dos visitantes.

Santiago em um fim de semana qualquer de inverno foi exatamente como fomos pegos para vivenciar os principais atrativos da cidade latina que é famosa pelo bom gosto e refinamento geral do povo chileno.  Casacos longos, bons cortes de cabelo, bege, mescla, preto, botas de couro, conversa baixa,  prédios baixos, muitas arvores e um estilo europeu se conversam num esquema de harmonizar o padrão urbano ao natural, em muito a cidade lembra os bairros afastados de Londres.  Santiago é muito linda!

Espere o Real  ficar mais valorizado e tenha uma viagem muito boa!

PRIMEIRAS IMPRESSÕES

https://maisumdedois.wordpress.com
Vista do Apartamento “AIRBNB”
https://maisumdedois.wordpress.com
Vista apartamento AIRBNB
https://maisumdedois.wordpress.com
Doceria em Santiago
WP_20150815_035
Vista Cerro Santa Lucia

Chegamos de noite e  tinhamos uma pesquisinha simples de como se chegar a nossa hospedagem do AIRBNB que ficava no centro. Logo de cara fomos abordados por uma enxurrada de taxistas desesperados em nos levar para o centro com placas e alguns cutucões nos braços, foi difícil driblar aquilo tudo para achar o ônibus que nos levaria ao metrô mais próximo. Achamos o busão em poucos minutos e escolhemos o de dois andares que tem lugar para guardar as malas. o trajeto foi bem rápido, parou em dois pontos e vimos alguns que pareciam muito com as cidades do interior de São Paulo, em 35 minutos estávamos no destino, o Terminal Rodviário Central.  De lá pegamos um táxi e passando pela cidade, durante a noite nos empolgamos pela beleza dos prédios antigos, parcialmente iluminados, conservados e de muito bom gosto.

Chegadas e Partidas

https://maisumdedois.wordpress.com
Posto de Bike Bellavista

O aeroporto SCL fica afastado do centro da cidade, mais ou menos a distancia do centro de SP e o aeroporto de Guarulhos. Abaixo três formas de sair e chegar:

Táxi

Logo após pegar as malas, você verá um balcão com funcionários das cooperativas de taxi. Eles cobram um preço fechado do aeroporto até a sua acomodação, média de 20 mil pesos.

Para economizar uns 2 ou 3 mil você pode pegar o táxi com algum dos milhares de taxistas que ficam te puxando e oferecendo desesperadamente uma corrida de táxi bem na saída do portão de desembarque.

Minibuses

Existem duas empresas de transporte privado (Transfer Delfos e Transvip)., nelas você pode solicitar um transporte privado (tipo um táxi) ou pode fazer o esquema Lotação, onde por volta de 6 mil pesos  compartilha o transfer com outros passageiros. Neste ultimo caso o trajeto é definido na hora de acordo com os outros passageiros, e eles passam no respectivo endereço de cada um Se você tiver sorte pode ser o primeiro a ser entregue, segundo relatos esta opção demora na média1 hora.

Ônibus

Esta foi a nossa opção, mesmo chegando tarde (o metro fecha por volta das 23h30) preferimos pegar este ônibus de linha até o centro e de lá tomar um táxi, que saiu muito mais barato do que pegar um taxi no aeroporto.

Existem duas empresas, a Centropuerto com cara de ônibus executivo por 1500 pesos e aTurBus  que tem ônibus de dois andares por 1600 pesos. Os ônibus param em terminais, rodviários próximos ao estações de metrô .

df

 Must SEE

Ande durante o dia pelo bairro Providencia, é lindo e encontramos uma Santiago bem diferente, com ruas e calçadas largas, prédios altos e modernos que se misturam com uma arquitetura antiga e conservada. Muitas e muitas árvores, todas uniformemente plantadas, cafés de esquina e cores, muitas cores. Uma das ruas que mais nos chamou atenção foi a Calle Itália, que tem lojas colaborativas, muito bem pensadas, moderninhas e com espaço para comer e fumar. Quase todas usavam materiais reaproveitáveis e estampas de todos os tipos nas mesas e cadeiras, além de lojas de móveis usados, vintage mesmo de muito bom gosto.

https://maisumdedois.wordpress.com
Bairro Providencia Santiago
https://maisumdedois.wordpress.com
Ministério do Turismo Santiago
https://maisumdedois.wordpress.com
Loja colaborativa em Providencia Santiago

Conheça o bairro Bellavista, no fim da tarde para poder ver os prédios grafitados, coloridos e o charme do bairro, nisso você pode também aproveitar para conhecer o Pátio Bellavista, um complexo de restaurantes e lojas bem planejado para a turistada que não foge do cliché dos pratos caros e pequenos. O bairro começa a ficar movimentado no fim da tarde, já as boates começam a funcionar depois das 22:00H, mas as pessoas só chegam por volta da 1:00H. O bairro é realmente o reduto boêmio de Santiago

WP_20150815_18_52_15_Pro
Vista por dentro do Patio Bellavista
https://maisumdedois.wordpress.com
Cordilheira dos Andes vista do bairro Bellavista
https://maisumdedois.wordpress.com
Rio entre Belas Artes e Bellavista

O parque em torno do museu de Belas Artes deve ser apreciado.No fim de semana as pessoas realmente usam o local para andar de bike e pic nic. Tem uma extensa parte para caminhar,recoberta de areias assim como já vimos em Paris, monumentos históricos e cafés com doces deliciosamente expostos nas vitrines.

https://maisumdedois.wordpress.com
Bellas Artes
https://maisumdedois.wordpress.com
Bellas Artes

Vá também a Plaza das Armas, centro onde acontecem manifestações artísticas como danças e estatuas vivas, lá você também  encontra o museu de historia nacional, onde é possível subir para ver de cima toda a “plaza”  com guia explicativo de grátis! E ainda tem a Catedral de Santiago que é belíssima, com uma arquitetura toda detalhada. De lá, ande um quarteirão e chegue no mercado municipal, vale a pena conhecer, mas não perca seu tempo para comer, além de caríssimo é lotado e não foge das comidas do mar que estamos acostumados.

https://maisumdedois.wordpress.com
Vista da Plaza del Armas
WP_20150815_13_17_07_Pro
Vista por dentro do Museu de história Chilena
https://maisumdedois.wordpress.com
Igreja em Plaza del Armas
https://maisumdedois.wordpress.com
Dança Típica

SHOPPING (SQN)

Esqueça compras! Santiago definitivamente não é para isso. Mesmo com lojas conhecidas por toda parte, inclusive uma H&M (sonho dos brasileiros), a maioria não compensa pelos preços e pela variedade. Já se você conseguir um ótimo câmbio pode valer a experiência.

WP_20150816_16_25_13_Pro

WP_20150815_15_08_30_Pro

Recomendações;

Calcule muito bem a troca de moeda,

Não vá para as zonas menos movimentadas da cidade;

Cuidado com o cartão de crédito (o nosso foi clonado e efetuaram uma compra on line em site pornô).

Percorra a cidade calmamente; não é grande, nem interessante a ponto de fazer maratona.

Não pague pelo turismo

Busque os pontos grátis da cidade e guarde tua grana para outras coisas.

logo official

_maisumdedois

VÁ DE BIKE !

Você já percebeu a cidade hoje?  Em uma entrevista sobre a polêmica das ciclovias na capital paulistana o prefeito de São Paulo Fernando Haddad nos chamou a atenção em uma frase muito simples “Os ciclistas são as únicas pessoas que ainda percebem a cidade”. Isso faz todo sentido quando falamos sobre conservação, sustentabilidade e compartilhamento nas grandes cidades.

O movimento dos ciclistas em São Paulo sempre foi muito bem observado pela imprensa e principalmente por quem anda pelas principais ruas. Quem nunca parou para ver aquelas lindas bundas de fora fazendo barulho na paulista num protesto pela segurança nas vias da capital? O mais interessante disso foi ver a magrela ficando cada vez mais famosa.  Agora com a construção das ciclovias o numero de ciclistas aumentou e uma das melhores formas de começar a usar a bike é alugando uma delas nos postos disponíveis pelos bairros.

tumblr_mv3xgaOFoq1skcd7fo1_500
http://24.media.tumblr.com/

Hoje existem estações de bicicletas compartilhadas por vários pontos da cidade. A prefeitura de São Paulo tem um projeto de sustentabilidade através do Termo de Concessão de Uso, da Settrel / Samba com o Banco Itaú que dispõe bikes para curtos percursos às pessoas pré-cadastradas. Você já deve ter visto alguém usando uma “laranjinha” por aí.

Outras empresas também estão trabalhando no setor, o Banco Bradesco disponibiliza em menor numero de estações as bicicletas para locação, as “vermelhinhas” são mais fáceis de ser encontradas na Avenida Paulista aos domingos e em outros pontos específicos.

O projeto vem tomando efeito positivo para quem quer se locomover em pequenos percursos, talvez isso seja o start para quem quer comprar uma delas e economizar no transporte.

Bike Sampa

blog_bikeitau

As “laranjinhas” tem a primeira hora de uso gratuita e a cobrança de R$ 5,00 a cada 30 minutos excedentes do período de 1 hora. Para ter acesso a elas basta ter e-mail, número de telefone, CPF e cartão de crédito. Com todos estes dados em mãos é só efetuar o seu cadastro (Passe > Habilitar Passe > Cadastre-se) pelo site http://www.mobilicidade.com.br/bikesampa.asp ou através do aplicativo de celular que esta disponível nas plataformas IOS, Android e Windows Phone.

Finalizado o cadastro e preenchido as suas informações pessoais você precisará “Habilitar um Passe” fornecendo os dados de seu cartão de crédito. Esta formalidade é necessária para  garantir a bicicleta e para a cobrança do R$ 5,00, caso você exceda a primeira hora. Para não pagar esta taxa e usar a bicicleta por mais tempo, você pode devolver a bicicleta em qualquer estação, aguardar 15 minutos e retira-la novamente para mais 1 hora.

Passe habilitado, você automaticamente passa a ter acesso a mais de 200 estações espalhadas pela cidade. A retirada da bike pode ser feita pelo telefone 4003 6055, aplicativo ou com o bilhete único. Para associar o bilhete único, você precisará entrar no site, logar na sua conta e associar o cartão BU (Passe > Associar Cartão BU).

O Bike Sampa tem grande representatividade hoje na cidade São Paulo  e esta disponível a todos. É só fazer se cadastro, ir até uma estação, habilitar o uso e aguardar a luz verde desbloquear a bike que você escolheu.

CicloSampa

bike-wheel-lights-2 (1)
http://geekologie.com/

Já as “vermelhinhas” ou “CicloSampa” são vistas com mais frequência pela cidade aos domingos e feriados, quando são instaladas as ciclofaixas de lazer na região central. Nestes dias você pode o pegar as bicicletas do Bradesco Seguros no Ibirapuera (Parque das Bicicletas ) ou na Av. Paulista  (Praça do Ciclista).  Quem faz o empréstimo pode pedalar nas faixas de lazer pelo período de 1 hora sem pagar nada, mas é necessário deixar um documento original e preencher um cadastro simples.

Elas também podem retiradas gratuitamente todos os dias da semana pelos primeiros 30 minutos em algumas das poucas estações instaladas na zona sul e oeste. Para ter acesso, é preciso efetuar um cadastro no site www.ciclosampa.com.br e também “habilitar” um passe para conseguir retirar as bicicletas nas estações.

Diferente a primeira opção, o aluguel destas bikes sem cobrança só é válido pelo primeiros 30 minutos, após este período serão cobrados R$ 5,00 a cada meia hora excedente. Para não pagar este tarifa, as bicicletas podem ser devolvidas em qualquer estação e após sete minutos retiradas para um novo empréstimo.

ciclo-faixa

Pronto, agora você já não tem mais motivos para reclamar do trânsito da cidade e nem outra desculpa para não fazer exercício. Estes dois programas atendem razoavelmente a demanda e para que seja justificado as suas ampliações, é necessário que o que já esta disponível seja utilizado

logo official

_maisumdedois